quinta-feira, outubro 20, 2011

Envia a todos os teus amigos]




  "Em nome dos cortes salariais e do roubo do subsídio de Natal e
férias vamos circular este apelo que ESTÁ CIRCULANDO EM TODA A ESPANHA!

Exigimos:

Reduzir os salários de TODOS os cargos políticos em 50%.

Retirar TODOS os subsídios, abonos ou subvenções. Apenas poderão
auferir o salário.

Limitar o salário dos cargos políticos ao valor de 25 salários mínimos
(+/- 12.500 ?)

Apenas poderão auferir UM salário.

ESTÁ CIRCULANDO EM TODA A ESPANHA!

Vamos fazê-la circular em PORTUGAL....MUITAS VEZES, tantas quantas as necessárias Ver mais"
Eu ainda acrescentaria:
- Retirar viaturas de topo de gama a tantos gulosos que, mesmo em
empresas de transportes têm os seus brutos Mercedes com motorista e
que passam o dia a escová-los e engraxá-los para estarem sempre a
brilhar para os gulotões passearem ao fim semana com a família.
- Também lhes retirava os cartões Galp Frota com grandes plafonds de
gasóleo para encherem, não só os seus, como também os de toda a
família e amigos.
- Reduzia o nº de chefias em muitas empresas que têm mais chefes e
Directores do que funcionários (dos que trabalham a sério)
Etc. etc. etc...............







quarta-feira, julho 13, 2011

ULTIMATO RPP Solar tem 15 dias.

Carros dos administradores dos CTT andam mais do que se previa

13 de Julho de 2011, 10:36
Em dois anos, quatro administradores dos Correios de Portugal (CTT) percorreram, nos carros de serviço, o número total de quilómetros previstos para quatro anos. A despesa extraordinária será paga pela empresa.
A notícia é avançada pelo jornal i, que indica que a derrapagem na quilometragem dos três Audi e um Mercedes vai custar à empresa, do qual o Estado é o maior acionista, 76 300 euros, mas 12 900 do que estava previsto.
Segundo fonte citada pelo jornal, o valor da derrapagem será pago pelos CTT e não pelos administradores, contrariando as normas internas que indicam que quando um funcionário ultrapassa a quilometragem permitida do seu carro de serviço, responsabiliza-se pelo pagamento dos quilómetros em excesso.
Em 2008, os CTT alteraram o regulamento interno relativo às viaturas de serviço e passaram a adquirir veículos em regime de aluguer. Cada contrato tem a duração de 4 anos e o limite máximo de 100 mil quilómetros.
Os CTT já renegociaram com a empresa de aluguer de veículos para estabelecer um novo limite de quilometragem, mas a derrapagem dos quatro carros teve um impacto de 12 900 euros nas contas da empresa.
Privatização
A venda dos CTT está em discussão desde a apresentação do programa de privatizações 2010-13 e o executivo de Pedro Passos Coelho já anunciou no programa de governo a intenção de alienar a empresa ainda este ano.
Em Outubro de 2010, o Sindicato Nacional de Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações entregou uma petição contra a privatização da empresa na Assembleia da República. O documento reuniu quase 18 mil assinaturas.
@SAPO

salariais na TAP investigados pelas Finanças

Hermínia Saraiva  
13/07/11 07:00


Forma de aplicação dos cortes salariais na companhia aérea e contas da Manutenção e Engenharia Brasil também estão a ser analisadas.

A Inspeção-geral de Finanças (IGF) quer saber mais sobre os aumentos dos subsídios dos pilotos da TAP que têm funções em terra. Os inspetores estão ainda a investigar o corte nos subsídios de férias e de Natal [no âmbito do corte salarial imposto às empresas do sector empresarial do Estado] e as contas da Manutenção e Engenharia Brasil, que já tinham sido referenciadas no último relatório da Par pública, apurou o Diário Económico junto de várias fontes próximas do processos.
A TAP, contactada, nega que esteja a ser alvo de uma auditoria e explica que o que "existe da parte do Governo é um acompanhamento da aplicação das ditas medidas de cortes na empresa, processo que é visto como absolutamente natural".
Em causa, ao que o Diário Económico apurou, estão os aumentos dos subsídios de funções em terra pagos aos pilotos da companhia aérea portuguesa. Os aumentos, tal como o Diário Económico noticiou em Março passado, foram aplicados em Janeiro deste ano, mas com efeitos retroativos a Setembro de 2010.
A atualização dos subsídios de função, que de acordo com contas divulgadas pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) variaram entre 11% e 48%, abrangeu cerca de 15 pilotos com cargos de chefia.

Governo encontrou "desvio colossal" face às metas das contas públicas

Económico com Lusa  
13/07/11 07:18

O primeiro-ministro afirmou que o seu Governo encontrou um "desvio colossal em relação às metas estabelecidas" para as contas públicas.
De acordo com um dos elementos presentes na reunião do Conselho Nacional do PSD, que decorre num hotel de Lisboa, Passos Coelho reiterou que o Executivo não se vai queixar da "herança" do PS, mas não deixou de fazer uma observação sobre o estado das contas públicas portuguesas.
Segundo a mesma fonte, o primeiro-ministro e presidente do PSD afirmou que os membros do seu executivo ficaram "surpreendidos com o desvio que encontraram em relação ao que o anterior Governo dizia", acrescentando que se trata de "um desvio colossal em relação às metas estabelecidas".
Passos Coelho advertiu os conselheiros nacionais do PSD para as "grandes dificuldades" que Portugal enfrenta, referindo que os membros do seu Governo conhecem "a situação real" deixada pelo PS.O ministro da Saúde, Paulo Macedo, independente, foi um dos atuais governantes que participaram nesta reunião do Conselho Nacional do PSD.

Deputados forçados a gozarem apenas duas semanas de férias

Inês David Bastos  
13/07/11 10:34

Parlamento encolhe férias e só dá 2ª e 3ª  semanas de Agosto aos deputados. Primeiro debate com Passos dia 29.

Depois de o Governo ter reduzido as férias dos ministros a uma semana, a restrição chegou agora ao Parlamento. Ao contrário do tradicional e regimental mês e meio de descanso, os deputados só vão poder gozar este ano duas semanas de férias - a 2ª e 3ª de Agosto. Em causa está a necessidade de ter a Assembleia a funcionar em pleno o máximo de tempo possível para que as iniciativas legislativas que concretizam as medidas impostas pela ‘troika' sejam aprovadas antes de terminados os prazos.

A redução das férias foi ontem acordada entre os líderes parlamentares, depois de uma proposta do Governo com o número de iniciativas que pretende ver aprovadas no mais curto espaço de tempo. Os líderes das bancadas reuniram-se a partir das 16h00 mas só depois das 18h00 surgiu fumo branco sobre o período de férias permitido este ano. Duas semanas, a meio de Agosto, segundo disse ao Diário Económico fonte presente na conferência de líderes, que continuava reunida à hora do fecho desta edição.

O ‘corte' às férias dos deputados era já esperado, não só porque o primeiro-ministro impôs igual restrição aos seus ministros, como também porque o próprio Passos na primeira reunião com a bancada parlamentar tinha já deixado o aviso: "Não façam grandes planos de férias".

A conferência de líderes tinha ontem em cima da mesa, ainda, o agendamento dos próximos debate, sendo que o primeiro, sobre o projeto do PCP acerca de renegociação da dívida externa, está já marcado para o próximo dia 20. E ontem marcou o primeiro debate parlamentar com o novo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, para dia 29, numa altura em que o PS já terá líder eleito.

Aliás, o argumento de se esperar pelas eleições diretas no PS foi também usadona conferência de líderes para se adiar a votação dos representantes da Assembleia da República em órgãos externo, um deles o Conselho de Estado. Com a queda da Legislatura, cinco conselheiros de Estado de Cavaco cessaram funções e o PS pediu o adiamento da votação dos novos nomes. O PSD já manifestou abertura para esperar pelas eleições de forma a que seja já Assis ou Seguro a escolherem os nomes.

Os cinco conselheiros de Estado que viram o mandato terminar são Almeida Santos, Gomes Canotilho e Manuel Alegre (eleitos por proposta do PS) e Francisco Pinto Balsemão e António Capucho (por proposta do PSD).

sexta-feira, julho 08, 2011

Censos 2011

100 dias após o momento censitário (21 de Março de 2011) o INE divulgou os resultados preliminares dos Censos 2011. De acordo com estes resultados:

•Somos 10 555 853 residentes
•Constituímos 4 079 577 famílias
•Dispomos de 5 879 845 alojamentos em 3 550 823 edifícios
•A População residente cresceu 1,9%
•As famílias apresentam um crescimento de 11,6%
•Os alojamentos e os edifícios cresceram 16,3% e 12,4%, respectivamente.

quinta-feira, julho 07, 2011

Morreu Maria José Nogueira Pinto



Sabia-se da doença.

Sabia-se, que manteve atividade política, de analista na SICnoticias, de colunista no DN até ao "limite" sem que deixasse transparecer o que quer que fosse do seu "estado", que sabia terminal.

Provavelmente, a sua inabalável fé cristã, a crença no seu Deus, foram-lhe arrimo mais que determinante neste passe da sua vida.

Faz pouco tempo (nós não nos conhecíamos) cruzei-me com ela, marido, e filha a sair de um táxi, que parou à porta da casa de família, ao Campo Grande.

A silhueta desta mulher d'armas, lutadora, corajosa, coerente parecia já cadáver adiado.

Mas manteve sempre o sorriso, que foi uma das suas mais temíveis armas, na disputa partidária, no confronto político.

Recordo-me dela Diretora da Maternidade Alfredo da Costa onde realizou, com a sua equipa, o melhor trabalho que alguma vez se efetuou em unidade do SNS.

Lembro-me dela Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa onde procedeu a um trabalho, digo sem me tremer a voz, o melhor que lá se realizou após o 25 de Abril.

Era uma mulher conservadora, mas tinha uma dimensão ética da vida e da sua responsabilidade na cidade como poucas pessoas que eu recorde.

Eu, desde que me lembre, desde que tenho consciência cívica e política, sempre estive no perímetro das esquerdas.

Maria José Nogueira Pinto, que eu me recorde, sempre se situou às direitas.

Era uma mulher honradíssima, que cultuava, antes da ética da convicção, um ética prática da responsabilidade.
 IN SAPO

terça-feira, julho 05, 2011

Kit de sobrevivência para enfrentar a subida dos juros.

Kit de sobrevivência para enfrentar a subida dos juros
Alexandra Brito  
05/07/11 15:44

Seis conselhos a reter:

1 - Não se endivide mais
É absolutamente proibido contrair mais créditos. Esta é a opinião unânime dos especialistas ouvidos pelo Diário Económico. Numa altura em que o País e o sector empresarial enfrentam uma desalavancagem forçada, as famílias têm de seguir o mesmo caminho. Segundo os dados do Banco de Portugal existiam no final do primeiro trimestre deste ano 3,8 milhões de particulares com crédito ao consumo e 2,4 milhões de famílias com empréstimos à habitação. E o número total de famílias com créditos não tem parado de aumentar, mesmo apesar da crise. Em contrapartida a taxa de poupança das famílias está a decrescer. Segundo os dados do Banco de Portugal, no ano passado a taxa de poupança caiu para os 9,8%, quando em 2009 se tinha situado nos 10,9%. Mas não é apenas por estas razões que este não é o momento para as famílias contraírem mais dívidas. Fazer um crédito hoje é consideravelmente mais caro e mais difícil do que há três anos atrás. Se em 2008 era possível obter um ‘spread' de 0,5% no crédito à habitação, atualmente os ‘spreads' mínimos rondam os 2%, mas podem atingir os 5,95%. Além disso, os bancos apresentam rácios de financiamento baixos (60%/70%), o que implica que os clientes tenham em carteira dinheiro disponível para darem uma "entrada generosa" para a compra de casa.

2 - Previna-se e faça as contas
Prevenir é mesmo o melhor remédio para lidar com a subida dos juros e dos efeitos negativos da crise. Mesmo que a sua situação financeira atual seja saudável, os especialistas deixam alguns conselhos. Afinal, uma situação de desemprego ou uma doença poderá facilmente desequilibrar as finanças de uma família. Para prevenir tais imprevistos deverá ter guardada uma almofada financeira equivalente a seis salários do agregado familiar. Esta poupança deverá ainda estar alocada em aplicações financeiras de elevada liquidez (como os depósitos a prazo ou fundos de tesouraria) de forma a facilitar a sua movimentação em caso de uma emergência. Além de constituir este fundo de emergência, os especialistas aconselham os consumidores a fazerem as contas ao seu empréstimo à habitação, fazendo simulações de qual será a prestação da casa caso os juros subam mais 2%. Desta forma, as famílias ficam a saber se os seus orçamentos estão preparados (ou não) para subida das taxas Euribor. Por exemplo, um empréstimo de 150 mil euros a pagar em 30 anos, com um ‘spread' de 1,5% e indexado à Euribor a seis meses irá pagar em Julho uma prestação de 652 euros. Mas se a Euribor subir mais dois pontos percentuais (face aos níveis atuais), a prestação dispararia para os 827 euros.

3 - Opte pelo alargamento do prazo dos empréstimos
Se tem créditos a seu cargo e nota já algumas dificuldades em conseguir cumprir com os seus compromissos junto da banca, não deixe a situação arrastar-se. Fale com o seu gestor de conta, exponha a sua situação e tente renegociar as condições do empréstimo. No entanto, este não deverá ser um processo fácil. "O poder negocial que os clientes têm no atual contexto é muito reduzido", refere João Cantiga Esteves. Um reflexo desta realidade são as dificuldades que os consumidores têm hoje para negociar o ‘spread' dos créditos à habitação- uma tarefa praticamente impossível no atual contexto. No entanto, os bancos também não estão interessados que o crédito malparado aumente, por isso estão hoje mais receptivos a encontrar soluções para que os clientes evitem entrar numa situação de incumprimento. Algumas dessas soluções poderão passar, por exemplo, pelo alargamento do prazo do empréstimo, o que levará a uma redução da prestação da casa. Em alternativa, os clientes poderão pedir a carência de capital. Ou seja, durante um determinado período, o cliente paga apenas os juros do empréstimo.

4 - Taxa fixa: Uma opção para quem privilegia a estabilidade
O economista João Cantiga Esteves é um acérrimo defensor do crédito à habitação com taxa fixa. "Ao indexar o crédito a uma taxa variável, os bancos estão a transferir para os clientes o risco das taxas de juro. O que é grave. No atual contexto, não é preciso a Euribor subir muito para que o efeito seja devastador para muitas famílias. Ao fixar a taxa do crédito à habitação durante 30 anos, por exemplo, eu estou a eliminar esse factor de volatilidade". No entanto, importa referir que nas actuais condições de mercado, fazer um crédito à habitação com taxa fixa é mais caro face à taxa variável. Por exemplo quem contratar hoje um empréstimo à habitação indexado à Euribor a seis meses estará sujeito a uma taxa anual nominal (TAN) mínima de 3,75% . Um valor que tem em conta 1,75% de média da Euribor a seis meses registada em Junho, acrescida de um ‘spread' de 2%. Já quem fixar a prestação da casa durante 30 anos, estará sujeito a uma TAN de 5,785% - inclui taxa swap a 30 anos de 3,785% registada a 29 de Junho e um ‘spread' de 2%. No entanto, para o professor universitário, no longo prazo, a taxa fixa é mais vantajosa. "Posso pagar uma prestação mais elevada nos primeiros anos mas ao optar pela taxa fixa estou a pagar a certeza, a estabilidade e a eliminar a volatilidade dos juros", refere .

5 - Ponha o seu orçamento familiar em regime de dieta
Perante uma subida dos juros e do consequente aumento da pressão sobre os orçamentos familiares só existem duas soluções para evitar um impacto negativo: ou os ordenados esticam, ou os gastos encolhem. Tendo em conta as medidas de austeridade anunciadas (aumento de impostos, inflação elevada, corte dos salários mais elevados na função pública) dificilmente é possível fazer crescer os ordenados. A não ser que siga a sugestão do economista da IMF. "Lá fora, sobretudo nos EUA, vemos muitas pessoas que pela necessidade de aumentarem os seus rendimentos optam por transformar um ‘hobby' [como a carpintaria] numa fonte de rendimento adicional ao salário habitual. O actual momento pode ser, de facto, uma altura para que isso também aconteça em Portugal", afirma Filipe Garcia. Mas a forma mais fácil de não deixar que a subida dos juros ponha em causa a sua estabilidade financeira será através do controlo das despesas. "Há que separar aquilo que é prioritário, do acessório", afirma João Cantiga Esteves. E também aqui não existem soluções universais. Ou seja, cada caso é um caso, e aquilo que pode ser uma despesa supérflua para uma família, para outra é um gasto essencial. Por isso cada pessoa terá de fazer a discriminação das suas despesas e rendimentos para perceber quais são as despesas que poderão ser eliminadas ou reduzidas.

6 - Coloque a subida dos juros a favor das suas poupanças
Nem tudo é negativo num cenário de subida de juros. Quem tem poupanças, por exemplo, poderá até beneficiar da tendência altista dos juros e da escassez de liquidez que o sistema financeiro enfrenta. Isto porque existem algumas aplicações financeiras que estão a beneficiar da actual conjuntura. É o caso dos depósitos a prazo. Há 11 meses que a remuneração destas tradicionais aplicações a prazo tem vindo a subir de forma quase consecutiva. Os números do boletim estatístico mostram os juros médios praticados nos depósitos a particulares em Abril eram de 3,33%. Mas há no mercado bancos que estão a oferecer mais. Segundo os dados compilados pela Deco, existem pelo menos cinco depósitos a 12 meses que oferecem taxas brutas acima dos 4%. O melhor depósito para este prazo é o DP TOP II do banco BiG que tem uma taxa de 4,75%. O único inconveniente é que exige um montante mínimo de investimento de 60.000 euros. Quem tivesse este dinheiro disponível e o aplicasse neste depósito chegaria ao fim de um ano com uma mais-valia líquida de 2.238 euros. Mas não são apenas os depósitos que beneficiam da alta das taxas de juro. Os certificados de aforro, por exemplo, também veem a sua remuneração subir, já que a sua rendibilidade está indexada à evolução da Euribor a três meses

31.750€ por mês !À custa de quem?

A nova líder do FMI vai ganhar 381 mil euros anuais, o que representa um aumento de 11% em relação ao salário do seu antecessor.

A crise parece não afectar os salários dos altos cargos do Fundo Monetário Internacional. Christine Lagarde, que inicia hoje o seu mandato de directora-geral da instituição por cinco anos, irá receber um vencimento anual total de 551.700 dólares (381.200 euros), revelou hoje o FMI.
Nos dados do contrato de Lagarde hoje publicados pela organização é indicado que a ex-ministra das Finanças francesa vai receber um salário anual líquido de 467,940 dólares (323.412 euros), ao qual serão acrescentados mais 83.760 dólares (57.900 euros) em "despesas de representação". Quando foi nomeado em 2007, Dominique Strauss-Kahn acordou em receber um salário anual de 420.930 dólares (291.016 euros) com despesas de representação de 75,350 dólares (52.092 euros).
O FMI justifica o aumento recebido por Lagarde, a primeira mulher a liderar o Fundo, com a necessidade de "ajuste à inflação".
Em adição, o documento indica que as despesas de representação da nova directora irão ser pagas em prestações mensais "sem qualquer necessidade de certificação ou justificação", devendo ser usados por ela para garantir que tem "um nível de vida apropriado à sua posição como diretora-geral e às necessidades de representação do Fundo". e vai ainda receber uma pensão após o seu serviço no FMI e irá poder tirar "férias razoáveis", indicam os termos do contrato.
Pensei que este tipo de instituições regia-se pelo que eles próprios dizem para os países a quem emprestam dinheiro... AUMENTOS SALARIAIS CONFORME OS AUMENTOS DE PRODUTIVIDADE REAL!!!!!!

31.750€ por mês!
À custa de quem?
de quem ganha mais do que o ordenado mínimo para lhe ser retirado 50% do nosso subsidio de Natal.

L A D R Õ E S

Conselho de Ministros aprova fim das "golden shares"

Conselho de Ministros aprova fim das "golden shares" na EDP, GALP Energia e Portugal Telecom
05 de Julho de 2011, 14:54
O Conselho de Ministros aprovou hoje um decreto-lei que põe fim aos direitos especiais do Estado enquanto acionista na EDP – Energias de Portugal, S.A, na Galp Energia, SGPS, S.A. e na Portugal Telecom, SGPS, S.A.
"Na sequência da aprovação deste diploma torna-se necessário alterar os estatutos sociais das sociedades para estabelecer que o Estado mantém a sua posição acionista como simples detentor de uma posição ordinária. A decisão de manter ou de alienar estas ações cabe, então, ao próprio Estado", afirmou o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, em conferência de imprensa, na Presidência do Conselho de Ministros.
O memorando de ajuda externa acordado entre Portugal, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional impõe a eliminação, até ao final deste mês, das "golden shares" e de todos os outros direitos especiais do Estado português em empresas cotadas.
O Programa do XIX Governo, que na sexta-feira passou sem votação no Parlamento, estabelece igualmente como compromisso a eliminação dos direitos especiais do Estado enquanto acionista.
Segundo o ministro das Finanças, "a eliminação destes direitos especiais, muitas vezes conhecidos como 'golden shares' teria sempre de ocorrer para dar cumprimento às decisões do Tribunal de Justiça da União Europeia".
Vítor Gaspar referiu que, de acordo com este tribunal, "estes direitos especiais são incompatíveis com a liberdade de movimentos de capitais e com a promoção da concorrência".
@Lusa

quinta-feira, junho 30, 2011

Conselheira do FMI diz que não há alternativas à subida de impostos

Sem querer comentar medidas em concreto, Estela Barbot aplaude algumas ideias expressas no programa de Governo. “Independentemente das medidas austeras que têm de ser implementadas, existe uma real preocupação com as famílias”, sublinha.


A conselheira do FMI lembra que “esta situação [que o país atravessa] foi causada pelos últimos anos de governação” e concorda que sejam responsabilizados aqueles que criaram os problemas, mas apela para que não se caia num clima de contestação semelhante ao da Grécia. “Temos de descolar da situação da Grécia e acho que os portugueses perceberam que estamos numa altura de quase salvação nacional”, refere Estela Barbot
O primeiro-ministro anunciou hoje que o Governo vai adotar, apenas este ano, "uma contribuição especial para o ajustamento orçamental" em sede de IRS "equivalente a 50 por cento do subsídio de Natal acima do salário mínimo nacional".

Acho muito bem que se façam sacrifícios para tentar corrigir os problemas do país, mas isso só devia acontecer quando os responsáveis por colocar o país na situação em que se encontra, fossem julgados e condenados.


OS GRANDES CULPADOS


Eu não pedi para colocarem o país perto da banca rota, sempre trabalhei, tenho os meus bens pessoais e não devo nada a ninguém.
Um particular se entrar em banca rota é condenado.
Se uma empresa entrar em banca rota o gestor é condenado.
Porque não é condenado quem pôs o País na banca rota?
Só os contribuintes é que são condenados?

quarta-feira, junho 22, 2011

FAÇA AQUI A SUA DENÚNCIA!

FAÇA AQUI A SUA DENÚNCIA!
DENUNCIE O QUE ACHAR QUE ESTÁ ERRADO NO NOSSO CONCELHO!
"O ABELHA" PUBLICA E AGRADECE.
ESTE É O SEU ESPAÇO.
PELO NOSSO CONCELHO, POR ABRANTES


sábado, junho 18, 2011

VULCÃO


Executivo tem 11 ministros.

Executivo tem 11 ministros, três do CDS-PP, quatro do PSD e quatro independentes

Lisboa, 17 jun (Lusa) - O XIX Governo Constitucional é o executivo com menos ministros desde o 25 de Abril, com 11 ministros, dos quais três pertencem...
Executivo tem 11 ministros, três do CDS-PP, quatro do PSD e quatro independentes
Executivo tem 11 ministros, três do CDS-PP, quatro do PSD e quatro independentes
Lisboa, 17 jun (Lusa) - O XIX Governo Constitucional é o executivo com menos ministros desde o 25 de Abril, com 11 ministros, dos quais três pertencem ao CDS-PP, quatro são do PSD e quatro apresentados como independentes.
Até agora, o executivo mais curto desde 1974 tinha sido o X Governo Constitucional, chefiado por Cavaco Silva, que tomou posse em 1985, com 13 ministros.
Apesar da sua dimensão mais reduzida, o CDS-PP tem no XIX Governo o mesmo número de ministros que teve nos dois anteriores de coligação com o PSD, entre 2002 e 2005 - três, enquanto o PSD tem quatro, além do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.
O presidente do CDS-PP, Paulo Portas, é ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, o líder parlamentar cessante do CDS-PP, Pedro Mota Soares, é ministro da Solidariedade e da Segurança Social e a vice-presidente do CDS-PP Assunção Cristas é ministra da Agricultura, o Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território.
Da Comissão Política do PSD integram o Governo o secretário-geral, Miguel Relvas, que é ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares e a vice-presidente do partido Paula Teixeira da Cruz, ministra da Justiça. O líder parlamentar cessante do PSD, Miguel Macedo, é ministro da Administração Interna.
O ex-líder parlamentar do PSD e ex-candidato à liderança deste partido José Pedro Aguiar-Branco completa a lista de sociais-democratas no Governo, como ministro da Defesa.
A estes nomes juntam-se os dos independentes Vítor Gaspar, ministro de Estado e das Finanças, Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia e do Emprego, Paulo Macedo, ministro da Saúde, e Nuno Crato, ministro da Educação, do Ensino Superior e da Ciência.
Em comparação com o segundo executivo chefiado por José Sócrates, o novo Governo tem menos cinco ministros.
O XVIII Governo cessante tomou posse em 2009, composto por 16 ministros, cinco dos quais apresentados como independentes.
IEL
Lusa/Fim

BOA SORTE PARA TODOS.
AGORA VAMOS TRABALHAR E LEVANTAR ESTA NAÇÂO!
ACREDITAMOS, QUE VAMOS CONSEGUIR!

sexta-feira, junho 17, 2011

Abrantes não pode continuar a eleger gente com a triste e única missão de destruir dezenas de milhões de euros todos os anos...
E é vê-los a nascerem como cogumelos por Abrantes... Mas quem disse a essa gente, que a impunidade irá durar sempre?!

IN PICO DO ZÊZERE
Usando a "casa" de um vice-presidente do CDS abrantino por ali desfilaram os sete candidatos à Câmara pelo PSD de 2009 ( quando dois deles, já tinham perdido a confiança política da concelhia PSD).
O ano eleitoral de 2013 ainda vem longe e não se sabe que autarquias iremos ter nesse ano. Nem se haverá acordo entre PSD e CDS para as autarquias. Ou se haverá quem queira candidatar-se por uma coligação que a nível governamental irá sofrer enorme desgaste político até pelo menos, ao ano 2013.  
Todavia, para quem pouco ou nada liga ao mundo real, esses pormenores importantes não contam mesmo nada. O que é preciso, nestas andanças locais, é ir-se chegando à frente, para apanhar os melhores lugares. O bem do povo não conta...
Um medíocre autarca da nossa praça escrevia há dias, que no Reino Unido - a grande senhora da democracia! - só venceram as eleições, quem era amigo do magnata da comunicação social britânica. Coitado, o ex-autarca nem percebeu como promoveu a sua própria denuncia. Quem é que ganhou sempre as eleições, na terra onde a comunicação está nas mãos de quem está..?!

E a maioria relativa ainda vai nesta conversa...
Depois, eu é que coleciono derrotas, não é o que dizem?!  Ninguém gosta de mim...
E eu ralado com isso!
Eram sete, falaram quatro e só um falou mais do que os outros três. Para começo de conversa, isso é, quanto basta.
Não me comove mais, usarem a minha proposta do Posto de Bombeiros no Norte para trunfo eleitoral próprio. Mas dá que pensar terem todos que anuírem ali à volta das mesas, que essa era uma questão do mais elementar bom senso, como foi reconhecido, nesse encontro.
A ciumeira e a inveja também têm os seus limites, quando vivemos tempos de procura da verdade, da sensatez e de boas soluções.  E há verdades e soluções que ditas por mim, por muito que as queiram apagar, na esquina da vida e da história, elas acabaram por se elevar ainda mais alto. Coisa que os medíocres e os incompetentes se róiem todos de inveja.
Pode lá ser, vindo um tipo que nasceu num caminho que nem rua chegava a ser, ali cercado por pinheiros por todos os lados?!  Pobre diabos!
Já me estão tratando como gente!
 
IN PICO DO ZÊZERE

FEIRA DE VAIDADES...?


FEIRA DE VAIDADES...? ... NÃO OBRIGADO! ... AFINAL, SANTANA MAIA QUANDO QUER IMITAR "os armandosfernandes e as manuelasruivos" também as sabe urdir tão bem ao melhor do que eles ... UMA TRISTEZA DE OPOSIÇÃO! JÁ AGORA, ALGUÉM SABERÁ DIZER O QUE FIZERAM METADE DAQUELES "CABEÇAS do CARTAZ" PELO BEM DE ABRANTES...?! DEIXEM-ME RIR... QUE GOZO...! SÓ COM ISTO, MARIA DO CÉU JÁ SE RECOMPÔS DO ABALO SOFRIDO pelo PS em 5 de JUNHO...!!! QUE TIRO NOS PÉS...

IN PICO DO ZÊZERE

Presidente da Câmara de Abrantes acusa oposição de andar a trabalhar para a ata

   
Os vereadores do PSD na Câmara de Abrantes acusam a presidente do município, Maria do Céu Albuquerque (PS), de ter vertido para a ata da reunião camarária de 30 de Maio passado “um ataque político tão deselegante para os autarcas da oposição” referindo que “o único objectivo é desconsiderar” o seu trabalho”. Em causa está uma sugestão da presidente para que os vereadores social-democratas solicitem antecipadamente informação sobre as suas pretensões e só apresentem como proposta ao executivo o que realmente o justifique “ao invés de andarem a trabalhar para a ata”.

Na resposta, dada na última reunião do executivo quando se analisava a ata da reunião anterior, os vereadores do PSD disseram que a acusação da presidente da câmara “é o cúmulo dos cúmulos”, considerando que “os executivos socialistas têm gasto milhões de euros dos contribuintes na sua promoção pessoal, seja a trabalhar para a placa, como é o caso das obras faraónicas, seja a trabalhar para a imagem, através da contratualização de publicações do tipo Passos do Concelho, de publicidade nos rádios e jornais e no apoio a estas associações”.

António Belém Coelho e Elsa Cardoso afirmaram ainda não perceber bem o incómodo que causam à maioria socialista as propostas do PSD levadas às reuniões do executivo. “Seria preferível, obviamente, que tudo se tratasse nos bastidores e que as atas servissem apenas para endeusar o trabalho extraordinário e meritório levado a cabo pela senhora presidente”, ironizaram.

Os vereadores da oposição “laranja” sustentaram que as reuniões do executivo são o local próprio para pedir informações, levantar questões ou apresentar e debater propostas. “E os vereadores eleitos pelo PSD não abdicam, obviamente, do compromisso que assumiram com os munícipes de lhes dar voz, designadamente aqueles que em nós confiam, contactando-nos e expondo situações que necessitam de ser resolvidas”, afirmaram.



IN O MIRANTE.

COMO ADEPTO DO PSD,  E MUITO ME CUSTE, DESTA VEZ TENHO QUE CONCORDAR COM A SRA.PRESIDENTE, ESTA OPOSIÇÃO TEM  ANDADO ESTES .... “18 MESES” A TRABALHAR PARA A ATA.
MAIS NÃO DIGO….

Abrantes: PSD quer anulação de "projetos megalómanos".

Os vereadores do PSD da Câmara Municipal de Abrantes, de maioria socialista, afirmaram hoje que o município está a "correr para o abismo" caso não reveja os investimentos "megalómanos" em curso.

No balanço de 18 meses de mandato, hoje apresentado pelos vereadores Santana Maia e Belém Coelho e pelos candidatos autárquicos do PSD que já desempenharam funções de vereador no atual mandato e que têm colaborado no trabalho da vereação, as críticas ao trabalho desenvolvido pela maioria socialista foram generalizadas.

"A segurança, ou a falta dela, na cidade, o processo da RPP Solar, em que a autarquia investiu um milhão de euros para nada, o centro histórico da cidade e os investimentos nos processos de regeneração urbana, milhões para a cidade, nada para as freguesias, a falta de acesso a cuidados médicos de saúde e os direitos espezinhados da oposição, reveladores de claustrofobia democrática", foram algumas das críticas lançadas ao executivo socialista por Santana Maia.

IN IONLINE.PT

quinta-feira, junho 16, 2011

Os 10 objectivos do próximo governo

O acordo político assinado hoje entre Pedro Passos Coelho e Paulo Portas prevê o compromisso de um projecto de revisão constitucional comum, que irá ter em atenção a introdução de limites ao endividamento do Estado
No acordo político hoje assinado por Passos Coelho e Paulo Portas são definidos os 10 principais objectivos do governo de coligação.

http://economico.sapo.pt/noticias/os-10-objectivos-do-proximo-governo_120739.html

quarta-feira, junho 15, 2011

Informação.

Informo todos os interessados que a próxima Sessão Ordinária da Assembleia Municipal é sexta-feira dia 30 de Junho de 2011, pelas 20 horas.

Dançou na campanha pelo Pinto de Sousa (o pior político dos últimos 500 anos), agora com o Assis, vai…

Maria do Céu Albuquerque mandatária distrital de Francisco Assis.
A presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, vai ser a mandatária distrital de Francisco Assis, que, a par de António José Seguro, concorre à liderança nacional do Partido Socialista, apurou O MIRANTE. De acordo com fonte fidedigna, Francisco Assis deverá visitar Abrantes nos próximos dias, onde vai reunir com a autarca que vai apoiar a sua candidatura.
in O MIRANTE
Como diz a sabedoria popular ”Rei morto, Rei posto”

“ Não há condições…”

Cavaco Silva indigitou Passos Coelho como primeiro-ministro

15 de Junho de 2011, 13:41

O Presidente da República, Cavaco Silva, indigitou hoje Pedro Passos Coelho como o próximo primeiro-ministro de Portugal.
O Presidente da República indigitou esta manhã Passos Coelho como o próximo primeiro-ministro de Portugal. A informação foi divulgada no sítio oficial da Presidência da República.
"Ouvidos os partidos representados na Assembleia da República, tendo em conta os resultados das eleições legislativas de 5 de Junho e o acordo de coligação estabelecido entre o Partido Social Democrata e o Centro Democrático Social-Partido Popular, o Presidente da República indigitou hoje o Presidente da Comissão Política Nacional do Partido Social Democrata, Dr. Pedro Passos Coelho, para o cargo de Primeiro-Ministro", lê-se na nota publicada no sítio oficial da Presidência da República.
O novo governo liderado por Pedro Passos Coelho deve tomar posse na próxima semana.
@SAPO

Passos Coelho, um "liberal" na política desde a adolescência

15 de Junho de 2011, 15:12
"Pedro Manuel Mamede Passos Coelho nasceu em Coimbra a 24 de julho de 1964, filho de um médico transmontano e de uma enfermeira do Baixo Alentejo. O presidente do PSD, hoje indigitado primeiro-ministro, dedicou-se à política desde a adolescência, tem 46 anos, é formado em economia e define-se como "reformista" e "liberal".
Viveu no Caramulo até aos 5 anos, quando a família decidiu mudar-se para Angola, onde Passos Coelho até aos 10 anos. Depois do 25 de Abril de 1974, regressou a Portugal, para a terra dos avós paternos, Valnogueiras, no concelho Vila Real.
Na recente campanha eleitoral para as legislativas de 5 de junho, Passos Coelho reclamou ser "o mais africano de todos os candidatos", pela sua ligação pessoal a África, por ter uma mulher guineense, Laura, e uma filha pequena que "também tem uma costela africana".
Foi em Vila Real que Passos Coelho se iniciou na política. Começou por participar num congresso da União dos Estudantes Comunistas (UEC), e aproximou-se depois da Juventude Social Democrata (JSD) aos 14 anos, a propósito de um campeonato de cartas.
Depois de exercer os cargos de secretário-geral e vice-presidente da "jota" entre 1984 e 1990, Passos Coelho foi presidente da JSD durante dois mandatos consecutivos, de 1990 a 1995, em pleno "cavaquismo".
Sem nunca ter exercido qualquer cargo governativo, esteve no Parlamento de 1991 a 1999, como deputado e vice-presidente do grupo parlamentar do PSD.
Entre 1999 e 2008, esteve mais distante da vida política, com uma curta passagem pela direção social-democrata de Luís Marques Mendes, da qual foi vice-presidente, saindo por divergências políticas que não foram tornadas públicas.
Sobre a sua saída do Parlamento em Passos afirmou: "Não queria ficar empregado da política, não tinha lá estado com esse propósito, diga-se de passagem, nunca fui funcionário da política. Comecei a trabalhar aos 18 anos, fui pai aos 24, nunca ninguém na política me deu emprego, nunca pedi emprego para ninguém na política".
No PSD "pós-cavaquismo", Passos Coelho foi apoiante de Durão Barroso e Marcelo Rebelo de Sousa, nas eleições diretas do partido.
Em 2001, com 37 anos concluiu a licenciatura em economia pela Universidade Lusíada de Lisboa. Foi consultor da Tecnoforma e mais tarde ingressou no grupo Fomentinvest, da qual o ex-ministro da Administração Interna Ângelo Correia é presidente da comissão executiva. Passos Coelho deixou os cargos que exercia neste grupo depois de ser eleito secretário-geral do PSD.
A ascensão
Em 2005, foi eleito presidente da Assembleia Municipal de Vila Real, tendo sido reeleito nas eleições autárquicas de 2009.
Depois de ter sido derrotado em 2008 por Manuela Ferreira Leite, Pedro Passos Coelho foi eleito presidente do PSD nas diretas de 26 de março de 2010, que venceu com 61 por cento dos votos, derrotando Paulo Rangel, José Pedro Aguiar-Branco e Castanheira Barros.
Pelo meio, criou um grupo de reflexão política "Construir Ideias", e escreveu um livro, "Mudar", editado em janeiro de 2010 pela Quetzal.
Depois da demissão de José Sócrates no início do ano, e com o país a braços com a maior crise dos últimos anos, Passos Coelho era o candidato natural a primeiro-ministro pelos sociais-democratas, nas legislativas de 5 de junho. Muitos criticaram a sua inexperiência política para o cargo, outros aplaudiram uma cara nova.
Sob o slogan "Mudar Portugal", ganhou as legislativas de 5 de junho com 38,63% dos votos. Não chegando para governar em maioria, Passos aliou-se ao CDS-PP de Paulo Portas, num acordo de coligação parlamentar.
O novo primeiro-ministro de Portugal tem pela frente um dos maiores desafios alguma vez impostos a um governo português: fazer cumprir as medidas do plano de ajuda externa a Portugal num curto espaço de tempo.
Casado pela segunda vez, pai de três filhas, Passos Coelho é descrito como "um homem de família", alguém "racional, talvez frio" e "teimoso". Melómano, com voz de barítono, chegou a ter aulas com uma professora do Conservatório e até a inscrever-se num "casting" para um musical de Filipe La Féria."
@SAPO com Lusa


Pedro Passos Coelho. O primeiro-ministro indigitado.

O primeiro-ministro indigitado, Pedro Passos Coelho, prometeu hoje apresentar um Governo “dentro da urgência que o país precisa”, sublinhando que o Presidente da República será o primeiro a conhecer a sua composição.

“Quanto à estrutura do Governo, à sua composição, é uma matéria que estará do conhecimento do senhor Presidente da República quando o futuro primeiro-ministro for indigitado e puder começar a fazer convites para o futuro Governo”, afirmou Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas depois de uma audiência com o Presidente da República.

Passos Coelho assegurou que será Cavaco Silva “a primeira pessoa a saber qual vai ser a composição e os nomes desse Governo”. “Até lá a comunicação social e o país terão que aguardar pelo processo de formação do Governo”, acrescentou, prometendo ser “coerente” na formação do novo executivo.

Várias hipóteses para Ministro das Finanças

Questionado sobre quem será o próximo ministro das Finanças, Passos Coelho escusou-se a adiantar qualquer nome, reafirmando apenas que pensou em “muitas pessoas” para o futuro executivo.

“Pensei em muitas pessoas para o futuro Governo que o PSD viesse a fazer. Disse mesmo durante a campanha eleitoral que tinha o Governo na minha cabeça e, portanto, pensei em muitas pessoas, mas não vou individualizar nenhuma delas”, declarou.

Recordando que a formação do Governo “é um processo próprio” e será conduzido pelo primeiro-ministro indigitado, Passos Coelho reforçou a ideia de rapidez. “Quando essa indigitação acontecer, iniciarei todos os esforços com vista à constituição do Governo o mais rapidamente possível”, referiu Passos Coelho.

Nobre como candidato a AR

O novo primeiro-ministro disse ainda que vai cumprir com a sua promessa, mantendo Fernando Nobre como candidato do PSD à presidência da Assembleia da República.

“Eu sou um homem de palavra, convidei o doutor Fernando Nobre para ser o candidato do PSD à presidência da Assembleia da República e nessa medida irei apresentar na altura própria o nome do doutor Fernando Nobre ao grupo parlamentar do PSD, que o proporá para presidente da Assembleia da República”, referiu, insistindo que o processo decorrerá “no âmbito parlamentar, não no âmbito do Governo”.

Este é assunto que causa desacordo entre Passos e Portas. O líder do CDS afirmou hoje que os deputados do CDS não vão votar em Nobre. Paulo Portas disse, contudo, que este tema não vai fazer parte do acordo entre os dois partidos que deve ser assinado nesta quinta-feira.

“Iremos amanhã [quinta-feira] fazer a reunião final com a assinatura pública desse acordo e esse acordo será conhecido amanhã [quinta-feira], afirmou Pedro Passos Coelho.

@SAPO com Lusa

terça-feira, junho 14, 2011

O moralista Pina da Costa!

O moralista Pina da Costa, insigne exemplo de boy (apesar da idade que tem) socialista dissertou na Barca sobre a conspiração da Imprensa (privada) contra o Estado Social e o PS, numa caterva de disparates que mereciam ser incluídos nas antologias do ramo.

O Pina da Costa devia ser contratado pelo Padre Rosa para editorialista principal do blogue Pico do Zêzere, onde ao lado de Jota Pico, e sob a batuta clerical, competiria para ver quem diz mais enormidades por post no Distrito de Santarém.
O ingénuo  Pina da Costa diz que os medias condicionam os eleitores e que são eles (enquanto agentes dos obscuros interesses financeiros) que decidem as eleições.

O P.Rosa, que deve ter saído do mesmo seminário que o Pina, costumava berrar nos sermões a mesma coisa. A ''má imprensa'' era condicionada por forças obscuras (a maçonaria, os judeus, os jeovás) e por isso o povo só devia ler o boletim paroquial e as Novidades.

Pina da Costa confia tanto neste raciocínio sobre a burrice endémica dos eleitores, que deve ser dos que defendeu a adopção do mesmo sistema caciqueiro em Abrantes com a ajuda das empresas amigas.

Como toda a gente sabe é o esposo da Chefa que trata destes assuntos sórdidos.

Tudo isto seria apenas uma anedota, dada a personagem, se ele não tivesse participado na privatização de sistemas de serviços que deviam estar em mãos públicas e hoje estão em mãos privadas (e estrangeiras) neste concelho!!!!

Suponho que isso, seria o menos se os tais sistemas funcionassem bem e não pessimamente como toda a gente sabe.
http://porabrantes.blogs.sapo.pt/822027.html

TROIKA

Passos quer cortar metade dos organismos .

O PSD quer reduzir em pelo menos 50% o número de organismos do Estado ao longo dos próximos quatro anos. Até ao final de Setembro, será feito um levantamento da dimensão da administração central, local e regional e feita a identificação de que entidades poderão ser extintas, fundidas, transferidas ou concessionadas a privados para emagrecer a estrutura.

http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=21602

Deputados pedem subsídios e subvenções vitalícias

Pelo menos cinco deputados que estiveram pelo menos 12 anos no Parlamento reclamaram o subsídio de reintegração e pelo menos dois pediram a subvenção vitalícia...

Passos Coelho e Paulo Portas .

As negociações entre Passos Coelho e Paulo Portas para a formação do novo Governo, assaltos a mutlibancos de Norte a Sul do País e a subida das taxas de juro dos depósitos estão hoje em destaque na imprensa.

Lusa/ SOL

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=21620

Tão queridos !! Entradas de leão !!

Habitabilidade de Casa da Câmara em Vale das Rãs

Reunião Ordinária – Acta nº 14/2011
Data – 2011-05-30
Início – 14.30 horas


Nº 6 - Proposta de Deliberação dos Vereadores do PSD, Santana-Maia Leonardo e António Belém Coelho, relativamente à Casa da Câmara do Bloco C10 em Vale de Rãs, que se anexa à presente acta, propondo que a Câmara Municipal providencie, de imediato, para que a munícipe, quando regresse do Hospital, disponha de uma casa com condições mínimas de salubridade e habitabilidade que não agravem o seu estado de saúde e da sua filha menor. - 24117
A Presidente da Câmara prestou alguns esclarecimentos relativamente a esta situação, no âmbito do acompanhamento que tem sido feito à família, e às condições de habitabilidade. Sugeriu que não fosse tomada, neste momento, qualquer deliberação sobre o assunto.
O Vereador Santana Maia Leonardo disse, que se a Sr.ª Presidente da Câmara estiver em condições de garantir que a casa tem condições de salubridade e habitabilidade, que não agravem a sua situação de saúde e da sua filha, os Vereadores do PSD, estarão disponíveis para retirar a proposta.
A Presidente da Câmara fez mais algumas alusões ao processo e disse, novamente, que a casa reúne condições de habitabilidade.
Face aos esclarecimentos prestados pela Presidente da Câmara, os Vereadores do PSD retiraram a proposta de deliberação.

Tão queridos !! Entradas de leão !!
http://escrutinioautarquicoabrantino.blogspot.com/search/label/PSD
 

VEREADOR ANTÓNIO BELÉM COELHO

Eficiência Municipal - sinal de trânsito vandalizado já reparado.

Reunião Ordinária – Acta nº 14/2011
Data – 2011-05-30
Início – 14.30 horas


VEREADOR ANTÓNIO BELÉM COELHO

Por último, referiu que deu conta que um sinal de trânsito junto ao hotel foi alvo de vandalismo. No entanto, notou recentemente que o mesmo já está a ser reparado.
Os serviços municipais são eficientes !!! Enquanto o Sr. Vereador preparava a apresentação da anomalia a reparação aconteceu. Brilhante !!!!!! A troika vem a Abrantes para apreciar a boa prática dos serviços públicos municipais. Os alunos de jornalismo acolheram a declaração como tema de dissertação - A notícia e a anti-notícia. Mas há protestos. Em S. Miguel há um municipe que protesta pelo facto do Sr. Vereador não ter falado na pedra levantada no passeio ao pé da porta. Nas Fontes há outro municipe que não percebe a desigualdade de tratamento com a omissão da referência ao facto da lâmpada do candeeiro estar apagada. Eh ! Eh ! Eh !
José Maria
http://escrutinioautarquicoabrantino.blogspot.com/